Depoimentos de educadores comprovam várias melhorias no ambiente escolar, entre eles a redução do bullying e a  melhoria da  aprendizagem 

Gestores e professores do município do Cabo de Santo Agostinho, pioneiro no estado de Pernambuco com o trabalho de Educação Emocional e Social, estão recebendo, durante o mês de julho, Acompanhamentos Pedagógicos presenciais em todas as 95 escolas públicas. A ação, que visa realizar um apoio no trabalho desenvolvido em sala de aula, é realizada pela Organização Inteligência Relacional, em parceira com a Secretaria Municipal de Educação.  

De forma integrada, os consultores pedagógicos estão fazendo visitas diárias nas unidades de ensino da área urbana e rural, onde realizam orientações e prestam o suporte necessário aos educadores que desenvolvem a metodologia de Educação Emocional e Social. A partir disso, eles verificam a aplicabilidade do trabalho, mostram caminhos para ampliar os resultados e colhem informações para nortear o planejamento do semestre, além de fortalecer a relação com a equipe escolar.

Para a Secretária de Educação do Cabo, Sueli Nunes, esse tem sido um momento de avaliar e de conhecer o que tem sido vivenciado dentro das escolas. “Esse acompanhamento é fundamental para que possamos saber na prática a aceitação dessa metodologia e realizar ajustes, caso necessário. Já percebemos um resultado muito positivo, mudando a realidade de várias escolas do município que já apresentam um ambiente mais humanizado, tolerante e com redução de violência”, ressaltou.

Bastante entusiasmada com a educação socioemocional, a professora de Língua Portuguesa, Rosângela Maria de Lima, da Escola Municipal Paulo Freire, destacou que a chegada da metodologia proporcionou uma mudança de comportamento considerável em suas turmas. “Tenho buscado integrar os alunos e estimulá-los com atividades que refletem a emoção deles, a exemplo da criação do livro “Quem Sou Eu” e de cartazes da paz. Dessa forma, conseguimos reduzir muito o bullying e ter uma melhoria na aprendizagem, em especial com a interpretação de texto”, comemorou.

Já a gestora da Escola Municipal Administrador Manoel Victor, Lúcia dos Santos, enfatizou várias mudanças percebidas após o início do trabalho com a metodologia. “Hoje nossos alunos têm uma melhor compreensão, repercutindo diretamente na melhoria do comportamento e da aprendizagem. Estamos vivendo uma outra realidade, onde ambos se ajudam na superação das dificuldades. Como gestora, também mudei minha postura e agora chamo para conversar e promovo uma reflexão sobre o acontecido, construindo sempre uma relação de respeito”, disse.

A Educação Emocional e Social é um processo educativo, regular e permanente, que busca desenvolver consciência, autonomia e regulação emocional dos alunos e educadores. Atualmente, cerca de 30 mil alunos do município do Cabo de Santo Agostinho são contemplados com esse trabalho, sendo eles da Educação Infantil, Ensino Fundamental I e II e Educação de Jovens, Adultos e Idoso (EJAI).

Com a educação socioemocional é possível prevenir situações de estresse, bullying, uso e abuso de álcool e drogas, depressão e violência, por meio do desenvolvimento da empatia, do diálogo, da resolução de conflitos e da cooperação, alicerces da construção de uma Cultura de Paz, presentes na Lei Antibullying, sancionada no último dia 14 de maio e também parte integrante da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Matérias relacionadas: Blog do Robson Sampaio e Pernambuco em Foco 

Fonte: Inteligência Relacional