Momento foi direcionado à renovação de conteúdos e práticas que embasam o programa da Inteligência Relacional que visa o desenvolvimento de competências socioemocionais e habilidades de vida e bem-estar; cerca de 500 crianças e adolescentes são beneficiados com a inovação pedagógica 

Em março, mais de 20 colaboradores entre educadores e coordenação da Liga Solidária (Organização da Sociedade Civil – OSC), sem fins lucrativos, do Educandário Dom Duarte, em São Paulo (SP), participaram de uma formação para dar início ao quarto ano de desenvolvimento do programa de Educação Socioemocional da Inteligência Relacional que, desde 2016, passou a fazer parte da grade de atividades no Programa Crianças e Adolescentes. Cerca de 500 crianças e adolescentes são beneficiados com a inovação pedagógica que surge da confluência de diversos ramos do conhecimento como a Pedagogia, a Neurociência, a Psicologia e as Ciências Sociais e promovem o desenvolvimento de competências socioemocionais.

A instituição atende jovens que estudam no Ensino Fundamental I e II (1° ao 9° ano), no período do contraturno escolar e disponibiliza diversos recursos que promovem o desenvolvimento humano, a integração e o bem-estar. Entre os programas socioeducativos, a Educação Socioemocional vem se destacando como recurso fundamental, preventivo e mobilizador na construção de uma cultura de paz, promovendo a redução da violência e a melhoria da convivência e dos índices de aprendizagem.

Conduzida pelas consultoras pedagógicas da Inteligência Relacional, Laura Marangoni e Gabriela Biaggio, a formação foi marcada por momentos de reciclagem de conteúdos e práticas que permeiam o programa de Educação Socioemocional, possibilitando o compartilhamento de vivências e reflexões sobre a importância da temática. “As experiências compartilhadas pelos educadores demonstraram o quanto a educação socioemocional é enraizada na essência do trabalho desenvolvido na unidade. Todos demonstraram que para eles promover uma educação integral é algo além de desempenhar um papel profissional, é engajamento na construção de um sentido de vida”, destaca Gabriela.

Para a educadora Sônia Bueno Machado Monteiro, o momento de formação foi de suma importância para que houvesse um aprimoramento das práticas realizadas com os educandos.  “Além de relembrarmos diversos pontos, também tivemos a oportunidade de tirar dúvidas e compreender se estamos fazendo a abordagem correta. Em momentos como esse, ouvir os colegas de profissão nos ajuda muito em nossas práticas diárias. Todo esse trabalho realizado com a Educação Socioemocional tem uma grande relevância aqui, pois quando educamos para as emoções conseguimos adquirir habilidades para lidar com elas em todos os momentos de nossa vida”, comenta.  

“Contar com esta parceria na formação integral das crianças e adolescentes por mais um ano é um grande ganho para todos nós educadores, pois nos dá a possibilidade de continuar semeando a paz. A formação da equipe de educadores foi uma oportunidade de revisitar as práticas pedagógicas, conteúdos do programa, compartilhar vivências e esclarecer dúvidas, trazendo uma nova perspectiva no trabalho de educação emocional”, conclui a coordenadora pedagógica da unidade, Regiane de Oliveira Rosa.

Resultado de 2018

Em três anos de implantação e desenvolvimento do programa de Educação Socioemocional na organização, mudanças significativas no comportamento dos educandos foram observadas, destacando a importância da ação pedagógica para a redução da violência e melhoria da convivência.

As Avaliações de Resultados da Inteligência Relacional, aplicadas no início e no final do ano de 2018, constataram que 32% dos educandos estão adquirindo comportamentos de cooperação que promovem a convivência harmônica e pacífica com os demais, ajudando-os a formar uma rede de apoio para superação mútua dos momentos de dificuldade. Assim, está se formando o alicerce para a melhoria da convivência, que auxilia na prevenção ao bullying.