A inovadora metodologia, implantada desde 2018, tem contribuído para a redução de comportamentos violentos, melhoria da convivência e aprendizagem 

Durante dois dias (20 e 21 de fevereiro), as escolas municipais do Cabo de Santo Agostinho (PE), promoveram, com seus alunos, aulas inaugurais para celebrar o início das atividades da metodologia de Educação Socioemocional no ano letivo de 2019. Essa proposta educacional, desenvolvida por meio de uma parceira entre a Secretaria Municipal de Educação e a empresa Inteligência Relacional, foi implantada inicialmente em 2018, possibilitando aos alunos o aprendizado de como lidar com suas emoções no dia a dia.

Atualmente, cerca de 30 mil alunos do Ensino Fundamental I e II e da Educação de Jovens, Adultos e Idosos (EJAI) estão sendo contemplados com a Educação Socioemocional. Na prática, uma vez por semana, durante uma hora aula, os estudantes trabalham o desenvolvimento de competências socioemocionais e habilidades de vida e bem-estar. Tudo isso é realizado de forma sistemática com o apoio de um material pedagógico exclusivo, recursos psicopedagógicos lúdicos e envolventes, atividades e conteúdos pertinentes à faixa etária de cada estudante.

Durante esses dois dias festivos, várias foram as atividades realizadas nas escolas, entre dinâmicas, apresentações musicais e de dança e palestras com os pais. Além disso, práticas da metodologia foram usadas nesses encontros, com destaque para o Momento das Emoções, realizado em vários formatos adaptados, Danças Circulares com toda a escola e até o exercício de Quietude e Atenção, feito de forma coletiva em diversos ambientes.

Para o professor do Ensino Fundamental II, Max Branco, da Escola Municipal Dr. João Lopes, na área rural do município, a aula inaugurou possibilitou um despertar dos alunos nesse segundo ano do projeto e teve uma grande receptividade. “Esse momento marcou a renovação e destacou a importância do trabalho que será realizado ao longo do ano, com as práticas que irão ajudar essas crianças e adolescentes a compreender melhor sobre suas emoções e a regulação delas”, ressaltou.

Já a aluna do 7º ano, Evellyn Cristina, aproveitou a ocasião para destacar o que mais tem chamado sua atenção no momento das aulas de Educação Socioemocional. “Antes de qualquer atitude precisamos respirar, pensar e agir. Dessa forma, aprendemos que é possível evitar situações de conflitos com outras pessoas e que podemos viver num mundo melhor e mais harmônico”, disse. 

Já na Escola Municipal Renato Paulo de Sena, no bairro de São Francisco, a professora do Ensino Fundamental I, Vanilma Barbosa, que desenvolveu atividades com alunos do 1º ano, enfatizou a sua expectativa para 2019. “No ano passado já nos despertamos muito para esse projeto, uma vez que a gente nunca tinha pensado em trabalhar com as emoções dos alunos de forma sistematizada. Nossas crianças já apresentam melhoria das habilidades e redução de comportamentos inadequados e como já temos uma base, acredito que neste ano teremos resultados ainda melhores”, declarou.

Em 2018, as Avaliações de Resultados da Inteligência Relacional, aplicadas no início e no final do ano letivo das escolas municipais do Cabo de Santo Agostinho, constataram que, entre os alunos que vivenciaram a Educação Socioemocional na escola, 48% melhoraram seus comportamentos por meio do ganho de habilidades socioemocionais.

A Educação Socioemocional

A metodologia de Educação Socioemocional da Inteligência Relacional existe há mais de 10 anos e integra e articula diversas contribuições científicas baseadas em humanistas, sociólogos e filósofos, divididos em um eixo emocional e um social. Ela está, ainda, alinhada direta ou indiretamente, a todas as competências gerais da educação básica previstas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Dentre as competências, é proposto diretamente o reconhecimento das emoções e a capacidade para lidar com elas (8ª), o exercício da empatia, do diálogo, da resolução de conflitos e da cooperação (9ª), destacando o agir com autonomia, flexibilidade e resiliência (10ª).