Os encontros semanais são apoiados pela metodologia de Educação Emocional e Social e trabalham o diálogo, a regulação emocional e a busca por relações mais saudáveis

Desde o início do ano, o município de Conde, na Região Metropolitana de João Pessoa (PB), tem sido referência no desenvolvimento de uma metodologia de Educação Emocional e Social que visa contribuir com a construção da Cultura de Paz em todas as 22 escolas públicas e na comunidade. Complementando, a Secretaria de Educação, em parceria com a Inteligência Relacional, empresa pioneira e referência no país, está levando o mesmo trabalho para as famílias, por meio de encontros.

O desenvolvimento da educação socioemocional nessa etapa propõe aos familiares dos estudantes, que já contam com atividades em sala de aula, orientações e apoio para repensar as relações dentro e fora de casa e construir ambientes familiares mais saudáveis. Dessa forma, eles são provocados sobre a importância do diálogo e da construção da autoestima, usando o perdão como recurso de manutenção das relações.

Todo o trabalho é embasado por um material exclusivo, composto por textos, apostilas e o “DVD Emoções na Família”, desenvolvido por João Roberto de Araújo, fundador da Inteligência Relacional e idealizador da metodologia. Nos vídeos são vivenciadas situações que acontecem do dia a dia e debates de como agir em momentos de conflitos e desafios.  

Na avaliação do Coordenador de Políticas Públicas para Juventude de Conde, Alex da Silva Santos, que participa do grupo como educador socioemocional, o trabalho tem cumprindo seu papel. “Os pais presentes estão demonstrando que precisam de ajuda e os encontros de famílias tem representado uma rede de apoio para eles. Os conteúdos têm sido um guia para nortear essas pessoas no sentido de melhorar o convívio social de todos que o cercam”, destacou.

Já a Secretária de Educação, Aparecida Uchôa, enfatizou os encontros de famílias como suporte e extensão ao trabalho já desenvolvido nas escolas. “Essa proposta fortalece a ação realizada em sala de aula, para que essas crianças e adolescentes também vivenciem a Educação Emocional e Social em casa e na sua comunidade. Precisamos disso para fechar o ciclo de enfrentamento da violência e construir a paz em todos os lugares”, defendeu.

Na avaliação da consultora pedagógica da Inteligência Relacional, Maria Doia, os participantes estão interagindo bem e tirando todas as dúvidas de como melhorar suas relações sociais e familiares. “Eles estão no caminho certo. Cada encontro é uma evolução constante e sabemos que isso na prática já está provocando muita reflexão entre eles, apresentando o caminho para mudanças positivas na vida de cada um”, disse.

Educação Emocional e Social na Escola

Cerca de cinco mil estudantes do Ensino Fundamental I e II, de 22 escolas municipais, estão envolvidos no processo de educar para as emoções desde o começo do ano. Na prática, eles vivenciam com o apoio do material pedagógico exclusivo, atividades que visam evitar situações de estresse, uso e abuso de álcool e drogas, depressão e violência por meio do desenvolvimento da concentração, da tolerância, da autoestima, do aprendizado de competências socioemocionais e habilidades para resolução de conflitos.

Fonte: Inteligência Relacional