Educadores passaram por uma Formação Inicial, primeira etapa do processo de implantação para o ano letivo de 2019; no ano passado, 48% dos estudantes melhoraram o comportamento nas escolas municipais

Na última terça-feira (5), aproximadamente 1,7 mil educadores do Cabo de Santo Agostinho, participaram, em seis polos, de Formações Iniciais em Educação Socioemocional. A ação fez parte da continuidade do trabalho da metodologia que foi implantada em todas as escolas do município em 2018, por meio de uma parceria entre a Secretaria Municipal de Educação e a empresa Inteligência Relacional, e renovada para o ano letivo de 2019.

Participaram dos encontros todos os profissionais da Educação Infantil, do Ensino Fundamental I e II e da Educação de Jovens, Adultos e Idosos (EJAI), de ambos os períodos escolares. Os consultores pedagógicos da Inteligência Relacional abordaram os fundamentos e conceitos que permeiam o desenvolvimento teórico e prático da metodologia de Educação Socioemocional em sala de aula, além de detalhar o cronograma de atividades previsto para este ano.

Com a inovação pedagógica, que contemplará mais de 30 mil alunos, os educadores irão aplicar, uma vez por semana, durante uma hora, a aula de Educação Socioemocional, onde será promovido o desenvolvimento de competências socioemocionais e habilidades de vida e bem-estar. Esse trabalho sistemático, realizado com o apoio de um material pedagógico completo e exclusivo, objetiva a redução da violência e a melhoria da convivência e aprendizagem.

Em 2018, as Avaliações de Resultados da Inteligência Relacional aplicadas no início e no final do ano letivo constataram que, entre os alunos que vivenciaram a Educação Socioemocional na escola, 48% melhoraram seus comportamentos por meio do ganho de habilidades socioemocionais.

Para a Secretária de Educação do Cabo, Sueli Nunes, as expectativas em relação ao ano letivo de 2019 são ainda maiores. “Parte dos educadores já conhecem a Educação Socioemocional, um trabalho que deu bastante resultado na mudança de comportamentos e na melhoria de aprendizagem dos alunos. É uma ação que também tem refletido positivamente na comunidade. Temos certeza que em 2019 vamos ter muito sucesso”, disse.

Neline Maria da Costa, professora da Educação Infantil e do Fundamental I, destacou que a metodologia tem proporcionado um suporte ao educador em sala de aula. “Essa proposta educacional nos ajuda muito, uma vez que as relações emocionais são constantes dentro do nosso ambiente escolar. É muito pertinente tratar desse assunto”, defendeu.

A Educação Socioemocional

A metodologia de Educação Socioemocional da Inteligência Relacional existe há mais de 10 anos e integra e articula diversas contribuições científicas baseadas em humanistas, sociólogos e filósofos, divididos em um eixo emocional e um social. Ela está, ainda, alinhada direta ou indiretamente, a todas as competências gerais da educação básica previstas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Dentre as competências, é proposto diretamente o reconhecimento das emoções e a capacidade para lidar com elas (8ª), o exercício da empatia, do diálogo, da resolução de conflitos e da cooperação (9ª), destacando o agir com autonomia, flexibilidade e resiliência (10ª).