Resultados na Prática

Por que a Educação Emocional e Social é tão importante?

  • Colabora com a redução da violência na família, escola e comunidade
  • Propicia melhoria da convivência
  • Possibilita melhoria dos índices de aprendizagem
  • Contribui para a prevenção ao uso de drogas
  • Ajuda na redução da evasão escolar
  • Estimula rede de apoio comunitário

Educação Emocional e Social traz resultados?

Pesquisa realizada pela UNESCO e dirigida pelo sociólogo chileno Juan Casassus, em 14 países da América Latina e envolvendo 54 mil alunos, comprova que a educação emocional é a variável mais importante para que os alunos aprendam mais e melhor. Verificou-se que o desempenho dos alunos chegou a superar 36% da nota média das provas de Linguagem e 46% de Matemática.

Segundo Mark Greenberg, psicólogo e professor de desenvolvimento humano, o sucesso escolar do aluno é construído a partir do desenvolvimento de um clima emocional favorável na escola, onde haja cooperação e relacionamentos amigáveis.

Para o pesquisador da Universidade de Yale-EUA, Mark Brackett, as emoções podem tanto potencializar quanto inibir a habilidade de aprender.

Melhora do desempenho da nota média dos alunos: 36% em linguagem e 46% em matemática.

Resultados positivos já são realidade!

Melhora significativa da autoestima e diminuição do estresse emocional. Redução da violência interpessoal, uso de drogas e abandono nas escolas.

Educação e aprendizado

Mudanças positivas já podem ser vistas na prática. Estratégias estruturadas em Programas de Aprendizado Social e Emocional, liderados por Mark Greenberg e pautados em autoconsciência social e habilidades de raciocínio, atestaram que 270.000 alunos avaliados nos EUA, nos últimos 10 anos, melhoraram 11% no desempenho acadêmico.

68% de aumento do vocabulário emocional 36% de melhora de autocontrole 20% de melhora no envolvimento acadêmico 32% de redução de comportamentos violentos em sala de aula

Avaliação de Resultados

A Avaliação de Resultados da Inteligência Relacional, baseada em inventários aprovados pelo Conselho Federal de Psicologia, foi feita a partir de uma amostra de 18.208 alunos distribuídos em diversos estados da federação. Os números revelam redução de 35% de comportamentos problemáticos e aumento de 30% nos comportamentos socialmente habilidosos entre os alunos que passaram pelo desenvolvimento da Educação Emocional e Social. Isso demonstra uma redução significativa dos comportamentos inadequados que prejudicam a convivência, tais como violência, agressividade destrutiva, ansiedade e tristeza excessivas. Os alunos também estão aptos a lidar melhor com suas emoções, apresentam maior interesse acadêmico, aumento da concentração, diminuição no retraimento social, podendo conviver mais pacificamente consigo mesmos e com os outros.

Problemas de Comportamento

Agressividade Destrutiva
Pré 20%, Pós 12,7%: Redução de 36,8%
Ansiedade Excessiva
Pré 21,2%, Pós 14,2%: Redução de 32,9%
Desinteresse Acadêmico
Pré 20,2%, Pós 13,2%: Redução de 34,7%
Hiperatividade
Pré 35,9%, Pós 23,5%: Redução de 34,7%
Depressão
Pré 21%, Pós 12,9%: Redução de 38,4%
Retraimento Social
Pré 28%, Pós 17,5%: Redução de 37,5%
Queixas Somáticas
Pré 10,4%, Pós 7,2%: Redução de 31,4%
Total de alunos avaliados 6.841 Redução de 34,8% de comportamentos problemáticos

Habilidades Emocionais e Sociais

Habilidades de Relacionamento
Pré 59,5%, Pós 85%: Aumento de 28,3%
Habilidades Assertivas
Pré 51,5%, Pós 76,5%: Aumento de 32,7%
Habilidades Acadêmicas
Pré 60%, Pós 84%: Aumento de 28,6%
Habilidades de Autocontrole
Pré 52%, Pós 76,5%: Aumento de 32%
Total de alunos avaliados 11.367 Aumento 29,6% nos comportamentos socialmente habilidosos